Seguidores

sexta-feira, 16 de dezembro de 2011

Ecce Homo

( Eis o homem )

Foi um silêncio atento
A tudo que acontecia
Foi mais um dia
Dessas noites escuras
Sem lua e sem poesia.
Há muitas outras coisas
Que podem ser vistas de tuas janelas,
Além da insistência em retornar ao mesmo lugar
Da tua insanidade ,
Outros tempos teus...
E o mundo é um mundo de fatos,
Mesmo que não façam sentido.
Assim,
Enquanto adormeces...
Dou um beijo em teu retrato
Um sorriso fingido,
Apago a luz
E, digo adeus...

(©by Adilson S. Silva)

4 comentários:

  1. Boa poesia,muito bem construida.
    Abraços.

    ResponderExcluir
  2. Olá, amigo poeta! Tem um presente de Natal para você no Távola de Estrelas!Desejamos a você votos dum Natal muito Feliz e de um Ano Novo Maravilhoso!

    abraços,

    JouElam & Dani

    Távola de Estrelas: http://jorgemanueledanieledallavecchia.blogspot.com/2011/12/um-selinho-pra-voce.html

    ResponderExcluir
  3. Franco ... obrigado pela constante presença ... abçs

    ResponderExcluir
  4. JouElam & Dani ..... obrigado estou devendo uma visita ... abraços

    ResponderExcluir