Seguidores

domingo, 19 de abril de 2015

Açucena…




Detendo à espera, teço o esquecimento…
Na encruzilhada, alguma açucena adormecida
Pronuncia uma palavra tão solitária e tão desnuda:
Aqui jaz a esperança…

(Adilson Shiva)


Azucena…

Deteniendo a la espera, tejo el olvido…
En la encrucijada, alguna azucena dormida
Pronuncia una palabra tan solitaria y tan desnuda:
Aquí yace la esperanza…

(Adilson Shiva)

6 comentários:

  1. Interessante contradição do estado de Alma que aguarda!...



    Abraço

    ResponderExcluir
  2. Interessante contradição do estado de Alma que aguarda!...



    Abraço

    ResponderExcluir
  3. Vim para conhecer, e gostei muito de tudo! Vou seguir para não perder de vista :)
    Beijo.
    Nita

    ResponderExcluir
  4. Vim para conhecer, e gostei muito de tudo! Vou seguir para não perder de vista :)
    Beijo.
    Nita

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado pela visita e pelo carinho....abraços Nita Oliveira

      Excluir